quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Títulos – Recopa Sul-Americana de 2013

A Recopa Sul-Americana, confronto que reúne os atuais campeões da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana, sempre foi considerada um título menor, ainda que defina o "campeão dos campeões" da América do Sul. Suas edições, ao longo dos anos, nunca receberam muita atenção da mídia e nem mesmo dos torcedores das equipes envolvidas na disputa. Porém, a edição de 2013 do torneio ganhou um tempero especial por reunir dois times brasileiros e cuja rivalidade cresce a cada ano: o Corinthians e o São Paulo.

Quando vencemos nossa primeira Libertadores, no dia 4 de julho de 2012, o foco era na vaga para o Mundial da Fifa que a conquista nos dava. Poucos se lembravam que o título também nos classificaria para a Recopa. A situação começou a mudar no final daquele ano, quando o São Paulo venceu a Copa Sul-Americana. Se a disputa seria contra um grande rival, o título se tornou questão de honra.

Meses depois, já em julho de 2013, o tão aguardado confronto chegou. De um lado, o Corinthians, que além de campeão da Libertadores era o campeão do mundo e havia acabado de vencer o seu 27º Paulistão; de outro, o São Paulo, afundado na maior crise administrativa de sua história e batendo recordes de resultados negativos. Para muitos, o discurso era de que em clássico não havia favoritismo e que tudo poderia acontecer; outros, porém, afirmavam que o favoritismo era todo do Corinthians, pois a diferença do momento que cada equipe vivia se refletiria em campo.

Foi exatamente isso que aconteceu. No primeiro jogo, disputado com mando são-paulino no Morumbi, parecia que não havia adversário. O Corinthians dominou a partida desde o início e logo abriu o placar, com Guerrero. Mas o que parecia um anúncio de goleada se tornou preocupação logo no primeiro lance do segundo tempo: em uma jogada bisonha, Cássio tomou um frango vergonhoso. Isso deu moral ao São Paulo, que cresceu na partida, mas logo em seguida Renato Augusto fez um golaço encobrindo o goleiro Rogério e trouxemos um belo resultado para casa: 2x1.

A partida de volta, com o Timão jogando pelo empate e o Pacaembu pulsando, foi um passeio. Romarinho e Danilo fizeram os dois gols que garantiram o 2x0 e o título com 4x1 no resultado somado – e olha que cabia muito mais... Danilo, aliás, pôde levantar sua primeira taça como capitão, já que Alessandro, lesionado, não participou da partida.


Conseguimos assim um título inédito, mais uma taça internacional para o Memorial do Parque São Jorge – a terceira em pouco mais de um ano – e outro campeonato conquistado em cima do rival São Paulo, fechando um ciclo perfeito em que vencemos pelo menos uma vez cada torneio disputado desde o retorno à Série A, em 2008.


Time-base: Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Danilo (Douglas) e Romarinho (Renato Augusto); Emerson (Ibson) e Guerrero (Alexandre Pato). Técnico: Tite.

Observação:
Danilo foi eleito o melhor jogador da competição.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário