terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Títulos – Campeonato Paulista de 1982

O Corinthians de 1982 deu muito orgulho para seu torcedor dentro e fora de campo. Além dessa fase ter entrado para a história pelo movimento conhecido como Democracia Corinthiana, tínhamos uma equipe fortíssima, liderada pelos craques Sócrates e Zenon e que contava com o apoio de Deuses da Raça como Wladimir, Zé Maria e Biro-Biro, além da revelação Casagrande. Dito isso, não é de se espantar que o troféu de campeão paulista daquele ano tenha ido parar no Parque São Jorge.

O campeonato seria disputado em dois turnos. Após se conhecer o campeão do primeiro turno, a pontuação seria zerada e se iniciaria o segundo turno, em que todos os participantes se enfrentariam novamente, com os mandos de campo invertidos em relação ao primeiro.

O Corinthians foi muito consistente ao longo de toda a competição. O primeiro turno – em que ocorreu um histórico 5x1 sobre o Palmeiras, com três gols de Casagrande – foi vencido com folga pelo Corinthians, tendo o São Paulo na segunda colocação; no segundo turno, ocorreu exatamente o contrário: São Paulo campeão, Corinthians vice.

Já que não tivemos uma mesma equipe vencedora dos dois turnos, o regulamento previa uma segunda fase que se iniciaria nas semifinais, em formato de mata-mata, para que se pudesse definir o campeão. Mas como Corinthians e São Paulo ocuparam as duas primeiras posições em ambos os turnos anteriores, as semifinais foram descartadas, e os rivais se enfrentariam diretamente na final.

Assim, a finalíssima colocaria frente a frente as melhores equipes do campeonato, com um tempero especial: o São Paulo era o atual bicampeão paulista, e buscava o tri – inclusive, seus torcedores diziam que após essa conquista o nome de seu estádio deveria der alterado de Morumbi para "Morumtri". Mas no fim das contas, foi o Corinthians quem teve a oportunidade de escrever mais um capítulo da sua supremacia em confrontos contra o Tricolor Paulista.

De nada adiantou a manobra covarde da diretoria do São Paulo, que encerou o chão do vestiário corinthiano para dificultar o aquecimento dos atletas, e nem a pressão iniciada pelo então preparador físico tricolor, Gilberto Tim, que afirmou que o São Paulo era um time de machos enquanto o Corinthians era um bando de meninos desmamados. Na primeira partida, em 8 de dezembro, o gol solitário de Sócrates no Morumbi garantiu a vitória alvinegra e a vantagem do empate para o jogo de volta. Quatro dias depois, em 12 de dezembro, Biro-Biro abriu o placar aos 26 minutos do segundo tempo, o que parecia decretar o título corinthiano, mas o São Paulo empatou logo em seguida, incendiando a partida. Só que não teve jeito: Biro-Biro fez mais um e Casagrande – que terminaria como o artilheiro da competição, com 28 gols – fechou o caixão. Resultado: 3x1 e festa corinthiana no Paulistão, pela 18ª vez na história. Assim, a torcida tricolor teve que se conformar com outro nome novo para o estádio: "Morumbiro"...

O caminho para o bi da democracia estava iniciado. Em 1983 teria mais: novo título paulista, novamente sobre o São Paulo.


Time base: Solito; Alfinete (Zé Maria), Mauro (Daniel González), Wágner e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Ataliba (Eduardo), Casagrande e Biro-Biro (Paulo Egídio). Técnico: Mário Travaglini.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário