quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Títulos – Campeonato Paulista de 1983

Campeão paulista de 1982, o Corinthians iniciou seu caminho no estadual do ano seguinte em busca de um bicampeonato, façanha que não conseguia alcançar desde 1952.

Na primeira fase do campeonato, os times participantes foram divididos em quatro grupos, mas apenas para efeito de classificação, já que todos enfrentavam todos, em turno e returno, e os dois primeiros colocados de cada grupo avançariam para a segunda fase.

Nessa etapa, sorteado no Grupo B, o Corinthians liderou o seu grupo sem dificuldades e fez uma excelente campanha, a segunda melhor na classificação geral, sendo superado apenas pelo São Paulo.

As equipes classificadas seriam redivididas em dois novos grupos na segunda fase, mas dessa vez os jogos seriam apenas entre as equipes do próprio grupo, em turno e returno. Jogando pelo Grupo E, novamente o Corinthians teve um ótimo desempenho: outra vez foi líder de seu grupo e ficou atrás apenas do São Paulo na campanha geral.

O Timão se classificou para a fase seguinte, disputada em mata-mata, para enfrentar na semifinal o Palmeiras, segundo colocado do Grupo F, e como costuma acontecer em clássicos, se classificou no aperto: com um empate em 1x1 na ida e uma vitória por 1x0 na volta, com gols de Sócrates em ambos os jogos. Com isso, o Timão avançou para mais uma final, novamente contra o São Paulo, como havia acontecido no ano anterior.

Mas quem esperava uma revanche tricolor teve que se conformar com mais um título alvinegro. No primeiro jogo, em 11 de dezembro, Sócrates fez o único gol da vitória magra por 1x0. Na finalíssima, disputada três dias depois, em 14 de dezembro – na qual os jogadores entraram em campo empunhando uma faixa com os dizeres "Ganhar ou perder, mas sempre com democracia" –, foi novamente de Sócrates o gol do título, já aos 46 minutos do segundo tempo – note que o Doutor foi o autor de todos os quatro gols marcados pelo Corinthians na fase final da competição. Ninguém nem se importou com o gol de empate do São Paulo dois minutos depois, que fechou o placar em 1x1 e de nada serviu.

Mas não foi apenas o Doutor que brilhou em mais esse título corinthiano: o goleiro Leão também foi decisivo, operando verdadeiros milagres, especialmente nas partidas da fase final.

Dessa forma, o Corinthians comemorou o seu 19º título paulista, mostrando mais uma vez que era sim possível ser vencedor seguindo uma ideologia democrática.


Time base: Leão (Solito); Alfinete (Ronaldo), Mauro, Juninho e Wladimir; Paulinho, Sócrates e Zenon; Biro-Biro, Casagrande (Wágner) e  Eduardo. Técnico: Jorge Vieira.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
            

Nenhum comentário:

Postar um comentário