quinta-feira, 16 de julho de 2015

Títulos – Campeonato Paulista de 1923

O ano de 1923 se iniciou para o Corinthians com a conquista do Campeonato Paulista de 1922 – pois o torneio se estendeu e acabou decidido apenas no dia 4 de fevereiro de 1923 – e terminou com outro título estadual, o Paulista de 1923, no primeiro bicampeonato de nossa história.

A fórmula de disputa do torneio foi a mesma do ano anterior: o campeonato era disputado em dois turnos, com as 12 equipes enfrentando cada adversário uma única vez no primeiro turno e as oito melhores avançando para o segundo turno, no qual se enfrentariam novamente, também uma única vez, com os mandos de campo invertidos em relação ao primeiro turno.

Esse campeonato apresentou uma particularidade: foi colocada em disputa a Taça Ballor, troféu que seria oferecido ao campeão do primeiro turno do Campeonato Paulista ao longo de boa parte da década de 1920.

Essa prática era bastante comum nos torneios da época. No Paulista de 1922, por exemplo, tal medida já havia sido experimentada: o Corinthians recebeu a Taça Cidade de São Paulo pela conquista do torneio e também o Troféu Doutor Otávio Egídio por terminar o primeiro turno do campeonato na primeira colocação.

No caso da Taça Ballor, havia um elemento que tornava tudo ainda mais interessante: a equipe que a levasse para casa por três vezes teria direito a sua posse definitiva. E logo no primeiro ano em que esse troféu estava em jogo, deu Corinthians, e com folgas: após nove vitórias e apenas um empate nas 10 partidas realizadas no primeiro turno do Paulista de 1923, conquistamos a Taça Ballor pela primeira vez.

Com a base campeã do ano anterior mantida, não houve sustos na campanha vitoriosa. O Corinthians enfileirou vitórias arrasadoras, incluindo uma sequência de goleadas: 9x0 no Internacional, 5x2 no Germânia e 6x1 no São Bento, sem contar o 4x1 sobre o rival Palestra Itália.

Como o primeiro turno foi vencido pelo Corinthians e a pontuação das duas fases era somada, trouxemos uma grande vantagem para a fase final, e o campeonato acabou se decidindo com quatro rodadas de antecedência, no dia 2 de setembro. O Corinthians fazia uma campanha quase perfeita, com 11 vitórias em 12 jogos, e venceu novamente – desta vez, o São Bento, por 3x0. Esse resultado, somado à derrota do Sírio, que era a única equipe que ainda poderia alcançar o Corinthians em pontos, nos deu nosso quarto título paulista e o inédito bicampeonato. No ano seguinte, chegaríamos ao inédito tri.


Time-base: Colombo; Rafael (Pinheiro) e Del Debbio; Gelindo (Leone), Amílcar e Ciasca; Peres, Neco, Gambarotta (Apparício), Tatu e Rodrigues. Técnico: Guido Giacominelli.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário