sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Títulos – Campeonato Paulista de 1929

Em 1929, ainda se viviam tempos de cisão no futebol paulista. Naquele ano, como vinha ocorrendo desde 1926, foram organizados dois torneios no estado: o da Apea, que contava com as equipes favoráveis à profissionalização no futebol (como o Corinthians), e aquele organizado pela LAF, com os times que lutavam pela continuação do amadorismo no esporte.

Tal divisão fez com que o segundo bicampeonato da história corinthiana fosse conquistado em um torneio-relâmpago: assim como no ano anterior, foram apenas oito as equipes participantes do campeonato da Apea, mas desta vez a disputa em pontos corridos não seria em turno e returno, e sim em turno único, com apenas sete rodadas.

Desde o início do campeonato, Corinthians, Palestra Itália e Santos se apresentaram como os grandes favoritos ao título, vencendo todas as suas partidas com goleadas sobre seus adversários. Essa situação persistiu exatamente até o confronto entre Santos e Palestra, que ficaram apenas em um empate em 1x1, o que permitiu ao Corinthians assumir a liderança isolada do campeonato.

Não demoraria muito para um dos rivais dar adeus a qualquer pretensão maior no torneio: logo na sequência do campeonato, o Corinthians bateu o Santos por 4x1, resultado que deixou a equipe da Baixada Santista matematicamente sem chances de título.

Na penúltima rodada, a única equipe que ainda podia nos alcançar em pontos era o Palestra, mas já estávamos com uma mão na taça: caso o rival não vencesse o Guarani e o Corinthians derrotasse a Portuguesa, seríamos campeões por antecipação. Porém, mesmo com o atropelo corinthiano por 7x1 sobre a Lusa, que nos deixou ainda mais próximos do título, o Palestra também venceu sua partida, e a definição do campeonato acabou sendo adiada para a última rodada, no dia 1º de dezembro, exatamente no Derby Paulista.

O Corinthians, com 12 pontos, podia até empatar que seria campeão. Para o Palestra, que tinha 10, a única opção era vencer o Corinthians para igualar o número de pontos e forçar um jogo-desempate (na época, a vitória valia dois pontos, e não três, como hoje). Mesmo jogando pelo empate, o Corinthians goleou: 4x1 pra cima do rival, pra fechar o campeonato e comemorar o título em grande estilo.

Dessa maneira, o Corinthians comemorou o seu sétimo título paulista e o segundo bicampeonato de sua história, em uma campanha impecável, com 100% de aproveitamento (sete vitórias em sete jogos), como já havia acontecido em 1914 e 1916.

No ano seguinte, 1930, comemoraríamos o segundo tri.


Time-base: Tuffy; Grané e Del Debbio; Nerino, Guimarães (Amador) e Munhoz (Leone); Filó (Apparício), Peres III (Neco), Gambinha, Rato e De Maria (Rodrigues). Técnico: Virgílio Montarini.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário