domingo, 29 de novembro de 2015

Títulos – Campeonato Paulista de 1930

Após quatro anos de racha no futebol paulista, nos quais dois campeonatos eram anualmente organizados por entidades diferentes, novamente o futebol do estado passou por uma unificação, e apenas um campeonato foi disputado em 1930. O torneio foi organizado pela Apea, que reintegrou em seu quadro as equipes que vinham disputando o torneio da LAF, o que aumentou o número de participantes para 14 e tornou o campeonato mais extenso, em turno e returno, com 26 rodadas. O campeão seria o time com menos pontos perdidos.

Mas nem todas as equipes que integravam o quadro da LAF migraram para a Apea. As ausências mais sentidas foram a do Paulistano – na época, o maior campeão do estado – e da A. A. das Palmeiras, que, contrárias à profissionalização iminente no esporte, encerraram as atividades de seus departamentos de futebol.

Por todo o campeonato, o equilíbrio entre os times da ponta da tabela era evidente. Nas primeiras posições sempre vinham emboladas as quatro equipes que atualmente são consideradas as grandes do estado: Corinthians, Palestra Itália (atual Palmeiras), Santos e São Paulo (recém-criado a partir da junção dos departamentos de futebol dos extintos Paulistano e A. A. das Palmeiras).

Tamanho equilíbrio fez com que Corinthians e Santos chegassem à última rodada, exatamente quando se enfrentariam, com chances de título. Conta-se que esse confronto, que seria disputado na Vila Belmiro já no início do ano seguinte, em 4 de janeiro de 1931, apresentou a primeira das muitas "invasões corinthianas", como se veria no Rio de Janeiro, em Buenos Aires, em Yokohama e em diversas outras cidades do mundo nas décadas seguintes. Naquele dia, torcedores corinthianos lotaram 80 vagões de trens que partiram de São Paulo com destino a Santos com a certeza de verem seu time do coração trazendo a conquista para casa. Todo esse esforço não foi em vão: mesmo jogando fora de casa, o Corinthians venceu, e goleando, por 5x2, diante de 20 mil pessoas, a maioria corinthianos. Os gols foram de Gambinha, que marcou duas vezes, Filó, De Maria e Napoli.

A conquista valeu ao Corinthians a posse definitiva do Troféu Washington Luís. Instituída em 1926, essa taça ficaria para sempre com o clube que ganhasse o Campeonato Paulista três vezes seguidas, e coube ao Corinthians essa honra, já que havíamos vencido a disputa também nos dois anos anteriores.

O título de 1930, oitavo paulista da história corinthiana, foi muito especial por diversos motivos. Em primeiro lugar, essa conquista fechou o segundo tricampeonato da história corinthiana, após os títulos de 1928 e 1929. Também foi o último título do clube na era amadora do futebol paulista, que iria aderir ao profissionalismo em 1933. Além disso, foi importante por marcar os últimos momentos de glória do Corinthians antes da grave crise que o clube enfrentaria no início da década de 1930, ocasionada por principalmente pela debandada de Del Debbio, De Maria, Filó e Rato, jogadores fundamentais no elenco, que se transferiram ao futebol italiano para jogar na Lazio. De quebra, ainda foi o último título do grande ídolo Neco, que encerrou sua carreira de jogador nessa temporada, após 17 anos no Corinthians.


Time-base: Tuffy; Grané e Del Debbio; Nerino (Leone), Guimarães e Munhoz; Filó (Nápoli), Apparício (Neco), Gambinha, Rato e De Maria. Técnico: Virgílio Montarini.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário